Blog

O sistema inteligente de transporte é um conjunto de soluções tecnológicas e tem como objetivo levar comodidade e conforto aos usuários de transporte público.

Devem também facilitar o gerenciamento operacional pelas empresas. Existem diversos tipos de dispositivos que compõe esse sistema. O GPS, posicionamento geográfico, os softwares bilhetagem eletrônica e de gestão de frota, o sistema de informação ao passageiro, os sensores de telemetria e a comunicação entre os carros e a central.
O primeiro sistema usado para resolver problemas de trânsito foi à criação dos semáforos. Hoje e dia essas tecnologias evoluíram e contribuíram para ter uma segurança maior nas estradas, principalmente durante as viagens e a prevenção de possíveis trânsitos. Essas tecnologias facilitam a vida dos fabricantes no momento que precisam equipar veículos com computador a bordo, sensores e sistemas de navegação.
Os sistemas de transportes se dividem em SAGT, sistemas avançados de gestão de transportes, onde inclui gestão de acidentes, controle de semáforos, previsão de congestionamentos e estratégias para minimizá-los. Também se encontra o sistema avançado de informação ao veículo (SAIV), tem como objetivo passar informações do veículo, pré, durante e depois de qualquer viagem.
Estudos dos principais projetos de STI desenvolvidos no mundo. Introdução aos conceitos básicos e as características dos sistemas especialistas em Engenharia de Transportes. Arquitetura e representação do conhecimento de engenharia. Desenvolvimento de ferramentas.
As possibilidades para empregar o sistema inteligente de transporte – STI para melhorar o cotidiano das pessoas e tornar as cidades mais inteligentes são muitas. Mas para que todas as ferramentas funcionem juntas há a necessidade de regulamentar os parâmetros. No Brasil, é a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que é formalmente responsável pelas normas do sistema inteligente de transporte. Para isso, ela organizou um comitê de estudos especiais para tradução e adaptação das regras já existentes em outros países para a realidade brasileira.

Comentários ( 0 )

    Deixe um comentário

    Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios. *